9 de julho de 2013

Corações Laçados - Diana Palmer


Título original: Wyoming Tough
Autor: Diana Palmer
Coleção: Rainhas do Romance 74
Editora: Harlequin Brasil
Ano: 2013
Páginas: 256

Como um perfeito caubói, o rancheiro Mallory Kirk sabe muito bem o que é trabalho árduo. Mas sua nova vaqueira vai conseguir suportar a pressão? Ele tem dúvidas sobre a capacidade física dela, ainda que a delicada jovem demonstre muita disposição. Conforme surgem problemas no presente, vêm à tona manchas do passado, e as esperanças de um Futuro melhor se tornam distantes.
A Morie é filha do King Brannt e Shelby Kane, cujo o livro é Para Amar e Cuidar, não lançado aqui no Brasil ainda. 
Cansada de ser superprotegida pelo pai e pelo irmão, Morie resolve sair de casa e se tornar uma vaqueira. Após procurar serviços em alguns ranchos e não ter sucesso, eis que ela é contratada pelos irmãos Kirk. Lá ela não é Morie Brannt a filha de um rancheiro milionário e sim Morie, a vaqueira desempregada. 
Mallory Kirk é um homem que sabe que o seu único atrativo é o dinheiro que possuí, por esse motivo fica com o pé atrás quando a sua nova vaqueira começa a demonstrar um interesse além de patrão e empregada. A sua desconfiança aumenta quando Gelly Burner, uma namorada em potencial, começa a insuanar que Morie tem um passado obscuro.
Quando vi que a Harlequin havia publicado Corações Laçados fiquei louca e queria, por que queria ler. Esperei ansiosa até poder comprá-lo e quando consegui, fui correndo começar a ler. Comecei a leitura com as expectativas no nível máximo, achei que por ser DP não me decepcionaria, não que eu tenha me decepcionado de um todo, mas não foi aquela "Coca-Cola toda".
O Mallory é um mocinho completamente obtuso, que em se tratando da Morie, não enxerga um palmo dianate do nariz. Ele acredita piamente em tudo o que a sua "amiga" diz sobre a Morie, mesmo que ele não vá lá muito com a cara dessa "amiga" e tenha motivos para ficar com o pé atrás com ela.
A Morie por sua vez é a típica mocinha "Palmeriana", ingênua, inocente e apaixonada até o último pelo mocinho, mesmo ele sendo o maior ogro. 
O que realmente salva a história são os irmãos do Mallory, Tank  e Cane, que pelo menos aqui se mostraram muito mais "simpáticos" do que o próprio Mallory. Óbvio que em se tratando de DP isso não prova que eles seram uns amores em seus próprios livros. O irmão da Morie, Cort, também aparece e dá mostras de ser um mocinho tão difícil quanto o pai foi. 
Apesar de o livro, como eu disse, não ser lá grande coisa, recomendo a leitura até por que ele é o primeiro da série Homens do Wyoming. Mas desde já aviso, não comece com grandes expectativas para assim não se frustar.

0 comentários:

Postar um comentário