27 de dezembro de 2013

A Rosa do Inverno - Patrícia Cabot


Título original: Where the Roses Grow Wild
Autor: Patricia Cabot
Edição: 1° Edição
Lançamento: 2008
Editora: Planeta do Brasil
Páginas: 416
Série Rawlings #01
Acostumado a conseguir qualquer mulher, Lord Edward Rawlings enlouquece com a sensualidade de Pegeen, que estava longe de ser a tia solteirona que ele havia imaginado. Mas Pegeen não está disposta a fazer mais concessões além de mudar-se, pelo bem de seu sobrinho, para a mansão dos Rawlings na Inglaterra. No entanto, ao chegar lá, ela logo percebe o risco que corre. Sempre movida pela razão, Pegeen sente que dessa vez seu coração está tomando as rédeas. Ela pode resistir ao dinheiro e ao status, mas conseguirá resistir a Edward?
A Rosa do Inverno é um romance leve, com boa dose de romantismo, forte aroma de sensualidade e uma pitada de suspense. Fala de paixão arrebatadora e indevida, de destino e escolha. Mas, sobretudo, é uma história que acende o debate sobre a condição feminina, o papel, os desejos, os temores da mulher. Ao confrontar o instinto de se entregar a um homem e a decisão de manter a independência, a Patricia Cabot faz do livro um espelho dos dilemas femininos.
Edward Rawlings é um mulherengo inveterado, tem todas as mulheres aos seus pés e anda somente com a escória da sociedade. Sendo o filho mais novo nunca teve que se preocupar com seus atos, afinal o futuro duque seria seu irmão mais velho, John. Mas há dez anos John foi deserdado após casar-se com uma escocesa sem sangue nobre e fatalmente morreu logo após.

Quando o velho duque, pai de Edward, está em seu leito de morte faz um último pedido ao filho, que este encontre seu neto, filho de John, e o traga para Rawlings para ser criado como o verdadeiro duque que é. Como Edward nunca quis assumir o título, para ele essa é a melhor notícia, afinal poderá continuar com sua vida desregrada enquanto que o pequeno sobrinho assume uma vida chata e cheia de regras.

Decido a resolver logo a questão ele parte para a Escócia a procura do sobrinho e da tia solteirona do menino. Para ele o quanto antes essa pendência fosse resolvida e ele pudesse voltar para a sua decadente vida, melhor. Mas ele não contava que seu sobrinho só fosse para Inglaterra se a sua tia fosse junto, e muito menos esperava que essa tia fosse uma bela escocesa de vinte anos sem papas na língua.

Pegeen é filha do antigo vigário local e desde muito cedo assumiu a responsabilidade pelo seu sobrinho, Jeremy. A família Rawlings nunca ajudou o menino com nada, afinal o velho duque nunca quis saber de seu neto que vive nos recantos afastados da Escócia. Quando Edward aparece com a proposta de que o melhor para o duque de Rawlings é morar na Inglaterra, no solar da família, ela aceita, mesmo sabendo que viver debaixo do mesmo teto que um homem tão charmoso quanto Edward não é uma boa ideia.

Sendo acostumada a viver na pobreza e sem luxo algum, o solar Rawlings é o paraíso, afinal não ter que economizar o carvão da lareira, não se preocupar se Jeremy terá uma refeição no próximo dia, é tudo o que ela sempre sonhou. Mas até mesmo no paraíso existem tentações e a de Pegeen é Edward. Ele faz de tudo para conquistar Pegeen, mesmo ela não sendo o seu tipo e ainda mantendo um relacionamento com a sua última amante casada.

Para Edward, Pegeen é um sopro de ar fresco na tão decadente escória com a qual anda. Uma mulher que se comporta como uma feminista ferrenha em um momento e no outro está ardendo em seus braços. Mesmo sabendo que ela é inocente e que casamento não conta em seus planos ele quer tê-la em sua cama, e para isso usará todo o seu charme e experiência.

Um romance envolvente, sensual na medida certa e com personagens cativantes que nos transportam para uma outra época, A Rosa do Inverno é uma ótima leitura para passar o tempo e se descontrair de leituras mais densas. Com diálogos leves e divertidos, Patricia Cabot consegue cativar o leitor do início ao fim do livro. Leitura recomendada!



0 comentários:

Postar um comentário