7 de fevereiro de 2014

Tigana - Guy Gavriel Kay


Título original: Tigana
Autor: Guy Gavriel Kay
Lançamento: 2014
Editora: Saída de Emergência Brasil
Edição:
Páginas: 368
Tigana é uma obra rara e encantadora onde mito e magia se tornam reais e entram nas nossas vidas. Esta é a história de uma nação oprimida que luta para ser livre depois de cair nas mãos de conquistadores implacáveis. É a história de um povo tão amaldiçoado pelas negras feitiçarias do rei Brandin que o próprio nome da sua bela terra não pode ser lembrado ou pronunciado. Mas anos após a devastação da sua capital, um pequeno grupo de sobreviventes, liderado pelo príncipe Alessan, inicia uma cruzada perigosa para destronar os reis despóticos que governam a Península da Palma, numa tentativa de recuperar um nome banido: Tigana. Num mundo ricamente detalhado, onde impera a violência das paixões, este épico sublime sobre um povo determinado em alcançar os seus sonhos mudou para sempre as fronteiras da fantasia.

Falar de Tigana é quase impossível, estou em frente ao computador e nada que eu consiga colocar em palavras parece ser suficiente para exemplificar o que senti ao terminar de ler essa magnífica obra. Sabe quando você termina a leitura e fica completamente absorvido pelo mundo retratado no livro? Quando você não consegue parar de pensar nos personagens e os imagina como se eles realmente fossem reais? Pois então, é assim que me senti ao final da leitura do livro que conta a primeira parte da história de Tigana.

Guy Gavriel Kay transporta o leitor para o país fictício da Península da Palma, um lugar que com seus vinhedos e bosques de oliveiras nos lembra muito a Itália. Nesse primeiro volume, - sim, por que diferentemente da publicação original a edição brasileira foi dividida em 2 volumes-, somos apresentados ao que leva os tiganeses a serem amaldiçoados. Nesse início de leitura, confesso que fiquei um pouco confusa, eram muitos nomes estranhos e a história não estava se encaixando corretamente na minha cabeça. Mas para minha grande alegria e surpresa, a partir da página 100, 120, a história começa a engrenar e tudo entra nos eixos.

A narrativa em 3° pessoa é muito descritiva o que para mim no início se tornou um pouco maçante, mas que ao decorrer da história pude perceber que a descrição passada nos mínimos detalhes era de suma importância para o entendimento da trama. O autor nos mostra os dois lados da moeda, pois cada parte da história é focada em algum personagem.  Assim sendo podemos conhecer o íntimo de cada personagem, descobrir o que os move e os seus mais íntimos segredos, por assim dizer.

Alessan bar Valentin, príncipe de Tigana, é um homem que faz de tudo para que o seu povo a muito castigado possa, como a fênix, retornar das cinzas. Mas ele sabe que para isso acontecer ele deve derrotar não um, mas dois magos. Sem ter magia ao seu lado e tendo que usar apenas a sua sagacidade, ele vai em busca de vingança.

Apesar de Alessan ser o personagem principal, o enredo gira em torno de outros personagens como Baerd, filho do amigo e servo do pai de Alessan. Catriana, uma mulher forte que se junta a Baerd e Alessan para vingar a sua terra natal. Dianora uma mulher de fibra mas que guarda muitos segredos, e por fim mas não menos importante, Devin, um jovem homem que tinha a sua vida completamente resolvida mas que com as revelações que Alessan  faz, acaba embarcando junto nesta jornada.

Posso dizer sem a mínima sombra de dúvida que Tigana é o melhor épico já publicado. É um livro que traz consigo muitas reflexões, coisas ruins feitas por bons homens e isso faz com que o leitor fique com a sua lealdade dividida. Aqui ninguém é cem por cento do bem  e muito menos cem por cento do mau. Outro ponto que o autor nos traz é a forma como as pessoas se rebelam quando o mundo que conhecem saí do eixo.

Não posso terminar essa resenha sem ressaltar que a Saída de Emergência Brasil está de parabéns! O capricho que temos nessa edição é de tirar o fôlego, para quem não sabe o meu fraco são livros com mapas, adoro. E Tigana tem muitos, começando pela arte interna da capa onde temos o mapa colorido da Península da Palma. Espero que a editora continue assim em suas próximas publicações. E para quem ainda não percebeu, a leitura de Tigana é muito bem recomendada. Deixo aqui as minhas 5 estrelas para essa história de arrepiar.


0 comentários:

Postar um comentário