14 de março de 2014

O Clone de Cristo - J. R. Lankford


Título: O Clone de Cristo
Título original: The Jesus Thief
Autora: J. R. Lankford
Edição: 01
Ano: 2014
Páginas: 384
Editora: Saída de Emergência Brasil
Adicione: Skoob
O Clone de Cristo é uma história fantástica sobre uma experiência secreta que pode mudar o mundo: a tentativa de clonar Jesus Cristo a partir do Santo Sudário. O Dr.Felix Rossi é o chefe da pesquisa, um conceituado cientista obcecado com duas perguntas: Será que o tecido do Sudário contém mesmo o sangue de Cristo? E o DNA ainda estará intacto? Apesar do caráter sigiloso do experimento, forças obscuras tentam impedi-lo e Rossi não tem tempo a perder: precisa encontrar uma mulher para gerar a criança. Esta trama policial arrepiante nos leva numa viagem inesquecível da alta sociedade nova-iorquina aos bares irlandeses, das igrejas do Harlem à Catedral de Turim. Uma narrativa bem construída sobre laços familiares perdidos, um homem à procura de Deus, uma mulher em busca de um sentido para a própria vida e uma inesperada história de amor.

O Clone de Cristo é o primeiro livro da série The Jesus Thief da autora J. R. Lankford. Como o próprio título diz a trama fala sobre a clonagem de Jesus. Sabe aquele ditado: "Não julgue um livro pela capa!", pois bem, nesse caso ele cabe como uma luva. Quando vi que a editora Saída de Emergência iria lançar esse livro fiquei super empolgada, afinal ultimamente temos vistos tantos livros com enredos iguais que achei que O Clone de Cristo seria algo para quebrar essa monotonia. Ledo engano, apesar de sua capa muito linda e que nos leva a crer que teremos em mãos um verdadeiro livro policial, o livro não é nada disso.


Felix Rossi é um microbiologista muito conceituado em sua área, rico e de uma fé sem precedentes. O seu maior sonho era ter se tornado padre, mas como o seu pai proibiu, ele se tornou um sacerdote em espirito. Para ele nada é mais importante que Jesus, Ele é o Senhor supremo o responsável pela nossa vida na Terra. Ele sabe que poucas pessoas o entendem, mas ele teve a sorte de encontrar em sua noiva, Adeline, uma parceira de corpo e espirito. 

Adeline é a melhor amiga de Frances, irmã de Felix, e por essa proximidade acaba se apaixonando pelo cientista. Ela assim como Felix, tem uma fé inabalável e tinha como sonho se tornar freira. O amor que os dois compartilham é muito mais em comum com Jesus do que com eles próprios.

Mas as estruturas da família Rossi, e até mesmo o amor que uni Felix e Adeline, estremece quando um segredo que a muito vem sendo guardado é revelado. Felix que desde sempre amou e idolatrou Cristo, descobre que sua família é Judia e que seus pais fugindo da perseguição aos Judeus na Itália, acabou se refugiando nos EUA e deixando de lado todo o passado Judeu.

Ele se vê completamente atordoado, se sente uma farsa. Afinal não é por culpa dos Judeus que Cristo foi crucifixado? Decido a se regenerar e por tabela regenerar aos Judeus aos olhos de Deus, Felix rouba alguns fios do Sudário de Turim quando ele está trabalhando em um projeto para igreja Católica e decide que será o responsável pela segunda vinda do Senhor ao mundo.

Tendo isso em mente ele começa a trabalhar na melhor forma de desenvolver em segredo o clone de Cristo. Ele sabe que a parte mais difícil será encontrar a mãe para Cristo, afinal a mulher tem que ser uma devota, possuir um coração puro e acima de tudo manter o mais absoluto segredo sobre o projeto. Como em seu  circulo há apenas duas mulheres que se encaixam neste perfil, Felix decide que a mãe deveria ser Frances ou Adeline. Como para ele seria muito estranho engravidar a irmã, mesmo sendo uma gravidez in vitro, Feliz resolve que Adeline, com toda a sua devoção ao Senhor, será a mãe perfeita. Mas nem tudo saí como o planejado, Adeline recusa veementemente a proposta e Felix fica sem saída.

Tendo que voltar ao ponto de partida e sem saber se poderá contar com a ajuda da irmã, Felix se surpreende quando é abordado por Maggie, sua empregada doméstica que diz que está disposta a trazer o filho de Deus ao mundo. 

Maggie, é uma mulher de 35 anos, negra e que assim como os Rossi, tem uma grande devoção. Ela nunca soube qual era o seu proposito na vida, até ouvir o Dr. Rossi falando sobre um clone, o clone de Cristo, com a noiva. Na mesma hora Maggie sentiu dentro de si que ela era a escolhida, faltava só convencer o Dr. Rossi disso.

Acredito que para quem gosta de livros com um apelo um pouco mais religioso essa seja uma ótima leitura, mas para mim, achei que a autora se fixou demais nos detalhes religiosos e deixou a ação propriamente dita de lado. Para um livro que está classificado com um livro policial, ficou muito a desejar.

Outro problema de compatibilidade foi com a escrita da autora, ela é muito, mas muito descritiva. Todos os detalhes das cenas são descritas com o máximo de detalhes possíveis, acredito que em um livro onde tenha muitos personagens e até mesmo muitas ações essa seja uma prática aceitável, afinal o leitor não gostaria de ficar perdido, mas o problema é que O Clone de Cristo não tem ações e seus personagens são poucos.

A autora tinha em mãos um ótimo tema e infelizmente não soube desenvolvê-lo. Os personagens são rasos e os motivos que levam ao Felix a fazer uma clonagem, são no mínimo esdrúxulos. Não entendo a fixação do Dr. Rossi em querer ser a todo custo católico, sendo que se ele não quiser assumir a sua descendência judia ele pode muito bem ignorar esse fato e continuar sendo um cristão.

O único personagem que salvou a história foi o porteiro escocês Sam, ele é completamente irreverente e tem o carisma que faltou aos outros personagens. 

Quanto ao trabalho da editora só posso dizer parabéns, mais uma vez a Saída de Emergência traz um livro com uma ótima diagramação, revisão perfeita e um layout lindo. O capricho da editora é sem igual.


6 comentários:

  1. O livro parece ser interessante, mais já li varias resenhas negativas dele, que nem sei mais sobre o que pensar desse livro, a capa é realmente linda.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Esse livro não me atraiu desde o começo Achei que vindo aqui ler sua resenha eu mudaria minha opinião, mas não funcionou.
    Não que sua resenha não tenha me agradado, muito pelo contrário. Eu amei sua sinceridade. Só que isso que você citou de ficar demais na religião e excesso de detalhes são duas coisas que me irritam!!!
    Resenha pra lá de perfeita!!!

    Bjkaas
    Lelê Tapias
    http://topensandoemler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. O Jé, vi você comentando do desagrado com o livro no twitter, não sei bem o que dizer. Eu não li, e quando vi que a Editora ia lançar não me senti interessada. Imaginei que a autora fosse puxar a história bastante para o lado religioso e bom, nunca me agradou livros assim. Também não sou fã de policiais, enitão acho que nem se eu deixasse de lado a minha aversão a livros religiosos gostaria de lê-lo. kkkkkkkk estou me sentindo ranzinza...mas obrigada pela excelente resenha e esclarecimento sobre a obra
    http://blogliterata.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Eu queria tanto ler esse livro justamente pela ideia, achei diferente de tudo o que eu já li, mas ler que a autora não soube desenvolver essa ideia me fez murchar agora. Posso até ler, mas sem aquele entusiasmo dele. Brincadeira, a mulher tem uma ideia dessas e desenvolve na superficialidade. Ts ts ts!!

    Bjs, @dnisin
    www.seja-cult.com

    ResponderExcluir
  5. Eu achei a temática deste livro muito interessante, com certeza vou querer lê-lo!
    http://leitorsagaz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não gosto de livros que apontem esse lado religioso, sempre acho que é apelação, esse livro com certeza será polêmico, vou querer ler antes que comecem a dizer que o livro é isso e tal.

    ResponderExcluir