18 de agosto de 2014

A Máquina de Contar Histórias - Maurício Gomyde


Título: A Máquina de Contas Histórias
Autor: Maurício Gomyde
Edição: 01
Editora: Novas Páginas
Páginas: 192
Adicione: Skoob
Na noite em que o escritor best-seller Vinícius Becker lançou A Máquina de Contar Histórias , o novo romance e livro mais aguardado do ano, sua esposa Viviana faleceu sozinha num quarto de hospital. Odiado em casa por tantas ausências para cuidar da carreira literária, ele vê o chão se abrir sob seus pés. Sem o grande amor da sua vida, sem o carinho das fi lhas, sem amigos... O lugar pelo qual ele tanto lutou revela-se aquele em que nunca desejou estar. Vinícius teve o mundo nas mãos, e agora, sozinho, precisa se reinventar para reconquistar o amor das filhas e seu espaço no coração da família V. Uma história emocionante, cheia de significados entrelaçados pela literatura, mostrando que o amor de um pai, por mais dura que seja a situação, nunca morre nem se perde.

"A Máquina de Contar Histórias" foi a minha primeira leitura do Maurício Gomyde. Sempre tive uma enorme curiosidade em ler algo dele, mas a oportunidade nunca chegava. Eis que em junho recebi a caixa da Novo Conceito e esse era um dos lançamentos. De cara me apaixonei por essa capa, que vamos combinar, está linda. Logo em seguida leio a sinopse e então, o que começou como uma paixão se torna amor à primeira vista.

Como podemos perceber na sinopse, o livro retrata a vida de Vinícius Becker, um autor best-seller que apesar de aparentemente ter uma vida perfeita não é bem isso que acontece na realidade. Vinícius escreve sobre amor e seus fãs o admiram muito por isso. A cada novo lançamento a mídia literária exalta o talento de Vinícius, mas nem todos concordam com esse fato. 

Valentina Becker é a filha mais velha de Vinícius, quando a garota era mais nova era a fã número um de seus pai. Hoje, Valentina é uma adolescente que  enfrenta um grande problema. Sua mãe, Viviana, já a algum enfrenta uma doença terminal. Aos poucos Valentina vai vendo a mãe definhar e se tornar apenas a sombra do que outrora havia sido. Se essa questão já não fosse suficiente para abalar uma jovem, eis que Vinícius se torna um pai e um marido ausente. Ele deixa todas as questões da doença da esposa nas mãos de sua filha mais velha.

É Valentina que passa os dias com a mãe, e também ela que fica encarregada de explicar toda essa reviravolta para sua irmã, Vida, uma garotinha de cinco anos que apesar das falhas idolatra o pai. Tudo fica mais complicado quando Viviana vem a falecer e Vinícius mais uma vez estava ausente. Isso revolta Valentina que a partir desse momento resolve que o pai é a pior pessoa do mundo e que, o que ele escreve em seus livros não passa de pura ficção, afinal Vinícius provou que é incapaz de amar.

É com essa premissa que Maurício Gomyde inicia a sua história, uma história que emociona do começo ao fim. Apesar de ter sua conclusão muito rápida, afinal não temos um desenrolar lento dos fatos onde o leitor possa observar os esforços de Vinícius para recuperar a afeição de suas filhas. O que quero dizer é que a trama traz consigo um elemento dramático muito forte, essa ligação quebrada entre pai e filha, e o autor resolve esse impasse de uma forma muito simplista. Sabemos que é uma obra de ficção, mas sempre é bom que a trama, quando trata de um assunto do cotidiano, traga consigo uma resolução e sentimentos que pessoas, como você e eu, teríamos. 

Valentina é a personagem que ganhou meu coração, uma garota de atitude mas ao mesmo tempo frágil, características bem típicas da adolescência. Vida também é uma figurinha, uma garotinha que encanta o leitor a cada aparição na história. Já Vinícius é a minha decepção, não consegui aceitar suas atitudes e muito menos acreditar em suas desculpas para as mesmas. Mesmo o autor tendo tentado mostrar uma outra faceta do personagem, fazendo com que Vinícius corresse atrás do perdão das filhas, não fez com que eu simpatizasse com ele. Vinícius não conseguiu  despertar nenhum tipo de sentimento, afora a raiva, em mim. Talvez se a trama não fosse tão curta e a forma com que o autor usou para mostrar a redenção de Vinícius fosse outra, eu até mudasse de opinião, mas na forma que está não tenho condições.

Para concluir, quero dizer que apesar das falhas citadas acima, Maurício Gomyde conseguiu criar uma história muito boa. A forma com que ele narra a história faz com que o leitor tenha uma imagem nítida do que está sendo contado e fique "preso" do início ao fim da leitura.  Posso dizer com toda a certeza que Maurício Gomyde não fica devendo em nada para renomados autores internacionais. Para aquelas pessoas que ainda insistem em ter preconceito com autores tupiniquins, eis uma oportunidade de comprovar que a nossa terra também produz grandes obras literárias.



Cotação:

6 comentários:

  1. Oiee ^^
    Uma pena que você tenha encontrado pontos negativos no livro; tive o prazer de conhecer a escrita do Mauricio, e desde então venho querendo ler os outros livros dele. A máquina é um dos primeiros da minha lista.
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. muita gente esta falando muito bem desse livro, beijos
    já estou seguindo:)
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Gostei de seu ponto de vista sobre a obra me pareceu sincero.
    Quero futuramente ler o livro e ver o que vou achar.
    Até mais. http://contodeumlivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Achei bacana a premissa do livro, e interessante o caminho pelo qual o enredo percorre, apesar de ter tido a impressão de que ela é um pouco contida demais só nesse trio. Não sei, tive uma sensação um pouco sufocadora, dessa história. A capa é realmente lindíssima, e, bem, é uma pena que tenha se decepcionado com alguns pontos - mas é interessante essa discussão: de que um livro, quando não possuidor de páginas suficientemente longas para desenvolver toda a trama satisfatoriamente, pode decepcionar. Parece que foi o caso desse, no ponto do protagonista e sua completude.
    Mas que bom que foi uma leitura em suma ótima! Beijão!


    Achou O Quê?
    http://achouoque.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Às vezes acontece de a gente não se identificar com a escrita do autor, já passei muito por isso, mas que bom que no fim foi uma boa leitura para você. Mas não sei se eu leria...

    Beijão,
    Boneca de Pano Rosa

    ResponderExcluir
  6. Oi Jéssica!

    Ai meu Deus, que capa MARAVILHOSA! Apaixonei! Adorei a história do livro e tua resenha, que pena que você encontrou alguns defeitos, sou louca pra ler qualquer coisa do Mauricio Gomyde. Acho que vou começar por esse!

    Beijos,

    http://viciadas-em-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir