23 de março de 2015

Escola Noturna - C.J. Daugherty


Título original: Night School
Autor: C.J. Daugherty
Edição: 01
Ano: 2015
Editora: Suma de Letras
Páginas: 336
Escola noturna é o primeiro volume da série inglesa de C. J. Daugherty, que conta a história de Allie Sheridan. Ela é uma jovem que vê sua vida desmoronar diante dos olhos: seu irmão fugiu de casa e seus pais decidiram mandá-la para uma nova escola, depois de ser novamente detida pela polícia. Desde o primeiro contato, ela percebe que a Academia Cimmeria não é uma escola normal: afastada da cidade, não permite o uso de tecnologia e os alunos parecem todos superdotados. Ao tentar descobrir os segredos da escola, a protagonista irá aprender em quem deve confiar – ou não – em sua nova vida.

Histórias de adolescentes em internatos quase sempre são as minhas preferidas, sendo assim não é nenhuma surpresa quando eu solicitei Escola Noturna para a editora Suma de Letras. Pela sinopse, e até mesmo pelo título, acreditava que essa seria uma leitura estilo Fallen, alunos em um internato tendo que lidar com o lado sobrenatural. A escrita da autora nos deixa com a sensação de que essa é uma leitura neste estilo afinal ela contém todos os tópicos e estruturas de um YA sobrenatural, mas na realidade isso fica somente na "sensação" mesmo.

Allie é uma adolescente conturbada. Depois que seu irmão mais velho fugiu de casa sem dar nenhuma explicação, ela começou a comportar-se completamente fora do seu normal. Muitas bebidas, pichações e diversos outros tipos de delitos, começam a fazer parte de sua vida. Mas quando ela é presa e expulsa de mais uma escola, seus pais resolvem dar um basta em sua rebeldia e a enviam para Cimmeria, um internato muito prestigiado e extremamente particular a duas horas de Londres.

Cimmeria não é uma escola comum. Os alunos que ali estudam são ricos e muito talentosos, sem falar que o programa de ensino é extremamente rigoroso, mas ao mesmo tempo os alunos tem certas regalias que não teriam em nenhuma outra escola. A escola é regida por diversas regras que se não forem seguidas acarretam punições rigorosas. Mas a regra mais importante de todas: se você não faz parte da Escola Noturna, você não deve fazer perguntas sobre ela e muito menos tentar descobrir quais são os alunos que participam deste programa de ensino. Todos aqueles que ignoram essa regra são expulsos. Apesar dessas estranhezas, Allie se adapta muito bem à sua nova vida, mas logo coisas estranhas começam a acontecer e com a ajuda de alguns amigos e de seu namorado, ela resolve investigar.

Tecnicamente, a escrita de C.J. Daugherty não tem grandes falhas. Não há transições bruscas, estruturas de frases confusas ou repetitivas e sua escrita não é excessivamente descritiva. O problema encontra-se no conteúdo.

Podemos dizer que o maior erro de Daugherty é o uso excessivo de clichés. O triângulo amoroso ocupa boa parte do livro, mas não é qualquer triangulo amoroso: trata-se de uma escolha difícil entre o garoto que está sendo nada além de doce, honesto e solidário e o garoto que embebeda Allie em seu primeiro (e último!) encontro e tenta estupra-la. Mas ele é bonito e repugnantemente rico e oh! FRANCÊS! Como alguém poderia escolher entre eles, eu não tenho ideia. 

Assim que Allie coloca os pés em Cimmeria a sua postura muda radicalmente, adeus Allie rebelde e bem-vinda Allie comportada e obediente. Essa mudança repentina não caiu muito bem. Acredito que é preciso muito mais que dois garotos lindos e uma escola nova para que a personalidade de Allie fosse moldada. Sem falar que a autora não aborda profundamente o que leve a personagem a ser da forma que era. Outro ponto é o fato da autora não explicar praticamente NADA sobre a bendita Escola Noturna, sei que esse é apenas o primeiro volume, mas acredito que algumas explicações, por menores que fossem, era algo necessário.

Pode-se dizer que a autora falhou em criar um clima de tensão em sua história. Muito tempo é desperdiçado em triangulo amoroso e baile de verão, do que no enredo principal. Nem é preciso dizer que quando a grande revelação veio a tona, ela tornou-se  decepcionante e fez pouquíssimo sentido. Foi como se tivessem arrancado os últimos capítulos. Não houve um grande clímax e nada foi resolvido, senti como se tudo o que li não tivesse feito a mínima diferença. Terminei o livro como comecei: sem ter uma explicação sobre o que diabos é a Escola Noturna.

Espero que minhas dúvidas sejam sanadas no segundo volume, que por sinal já encontra-se na minha estante, e que os romances e cenas que não contribuam para o suspense da história não sejam o foco principal. Até porque C.J. Daugherty tem em mãos um enredo que tem tudo para cativar os seus leitores, mas precisa ser trabalhado de maneira certa.



Cotação:

Um comentário:

  1. Oláa Jéssica. Esse livro já está na minha estante faz um tempo - tenho a primeira edição - e, agora que a sequência foi lançada eu pretendo ler. Eu estava esperando uma boa história sobrenatural, mas agora com essas confusões e falta de explicações bateu até um medinho. Espero me dar melhor com a história ou que pelo menos a sequência traga as respostas que faltou nesse primeiro volume.

    Blog | Paixonites Literárias Xx

    ResponderExcluir