15 de agosto de 2015

Doctor Who: O Prisioneiro dos Daleks - Trevor Baxendale


Título original: Doctor Who: Prisioner of the Daleks
Autor: Trevor Baxendale
Ano: 2015
Editora: Suma de Letras
Páginas: 208
Adicione: Skoob
Uma aventura inédita do Décimo Doutor, interpretado na tevê por David Tennant.
O Império Dalek não para de se expandir, e batalhas eclodem em vários sistemas solares. Quando o futuro da galáxia está em jogo, o Doutor se vê a bordo de uma nave próxima à linha de frente, junto a um implacável grupo de caçadores de recompensas. O Comando da Terra paga a eles por cada Dalek morto, por cada olho entregue como prova. Mas, com a ajuda do Doutor, os caçadores conseguem algo de valor inestimável: um Dalek inteiro, vivo, com os sistemas desarmados e pronto para ser interrogado. No entanto, com os Daleks nada é o que parece e ninguém está a salvo. Quando o jogo virar, como o Doutor sobreviverá ao se tornar prisioneiro de seu maior inimigo?

Esse foi meu primeiro contato com o mundo de Doctor Who, para quem não sabe praticamente nada desse universo, a leitura acaba se tornando um pouco confusa, e foi justamente assim que me senti.

Tudo começa quando o Décimo Doctor acaba se perdendo no espaço e parando em um planeta desconhecido, onde ele acaba encontrando uma infinidade de Daleks pronto para “EXTERMINAR!”. Além dos Daleks, o Doctor acaba encontrando uma nave modificada, a Peregrina, e seus tripulantes – mercenários caçadores de Daleks.

Apesar de ter sido a minha primeira leitura da série, eu gostei bastante. Claro que, inicialmente, me senti completamente perdida e sem saber me localizar dentro da trama, mas depois na metade do livro já estava completamente imersa na leitura.

Os personagens são bem trabalhados, o Doctor é extremamente carismático, engraçado e muito bem caracterizado. Já os personagens secundários, Bowman, Stella, Koral, Vanguarda e Scrum, são fundamentais para o andamento da estória. E apesar de alguns serem completamente estereotipados, como o caso do Bowman, eu gostei muito deles.

Em relação à capa a editora utilizou a capa original, que pelo o que eu tenho visto é o padrão em relação a essa série aqui no Brasil. Apesar de muitos não terem gostado, eu gostei. Achei que ela representa bem o que se passa na estória. Já a diagramação é leve e facilita bastante a leitura.

“O Prisioneiro dos Daleks” é uma leitura para quem já tem certa familiaridade com a série, apesar de ter gostado da trama e de todo o seu desenrolar, a falta de um conhecimento prévio sobre o que eu estava lendo atrapalhou um pouco. Mas para quem, assim como eu, quiser arriscar, vale a leitura, mas fica a dica: esteja preparado para “boiar” um pouco.


Cotação:

3 comentários:

  1. Oi Jéssica
    Que capa legal a desse livro ♥
    Fiquei bem curiosa em relação a historia e ele com certeza vai para minha lista de leitura.
    Lindo blog ♥

    Beijos,
    http://saracavalcantes2.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Realmente as obras da coleção "New Series Adventures" são mais para Whovians mesmo, para quem já acompanha e ama a série. Um livro que é mais tranquilo para quem não é fã é o "Shada" (também da Suma de Letras), que traz o quarto Doutor e a Romana II (da série clássica), baseado em um roteiro feito por Douglas Adams de um arco incompleto que não chegou a ser exibido. Ele "mastiga" mais as informações, explica bastante sobre as coisas mais complicadas relacionadas à Doctor Who, já li a obra e, inclusive, assisti também as partes que chegaram a ser gravadas.
    Mas eu recomendo mesmo é que você comece a acompanhar a série. Mas já vou alertando: é uma bênção e uma maldição. Mas só por ter o Doutor, vale muito a pena embarcar nessa jornada, as histórias são maravilhosas!

    Beijinhos Alados ♥

    ResponderExcluir
  3. Oi Jéssica!
    Pois é…também me falta esse conhecimento prévio. Tenho curiosidade em conhecer o mundo de Dr.Who e até cogitei solicitar um dos livros para a editora, mas como nunca assisti a série, fiquei com medo de a leitura me despertar essa sensação que despertou em você. Mas parece um livro promissor, né?
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir