8 de agosto de 2015

Joyland - Stephen King


Título original: Joyland
Autor: Stephen King
Ano: 2015
Editora: Suma de Letras
Páginas: 240
Adicione: Skoob
Um pequeno conselho: não se aventure na roda-gigante em uma noite chuvosa. Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

No verão do ano de 1973, Devin Jones troca seu trabalho lavando pratos no refeitório da Universidade de New Hampshire, por um emprego de verão em Heaven Bay, Carolina do Norte – uma cidade litorânea, lar do parque de diversões Joyland. Esse foi um verão de primeiras vezes para Devin – a primeira vez que ele teve o seu coração partido (por seu primeiro amor, Wendy); a primeira vez que ele esteve em contato com o colóquio de parques de diversões; a primeira vez que ele veste uma fantasia para alegrar criancinhas e descobre que isso é algo que ele é bom em fazer. É também nesse verão que Devin se depara com a história de um assassinato que aconteceu em um dos brinquedos de Joyland. Os boatos sobre a morte de Linda Grey – e a presença de seu fantasma – são usados para amedrontar e criar um clima mais sombrio na “Horror House”, lugar onde o corpo da moça foi encontrado.

Nesses longos dias de verão, Devin conheceu várias pessoas, muitas das quais se tornaram seus amigos pelo resto de sua vida, como o casal Tom e Erin. Além deles, Devin acaba se aproximando de um garotinho em estado terminal e sua mãe, que está passando por um momento bem complicado, afinal não consegue aceitar a morte eminente de seu filho.

Com o passar dos dias, o verão vai findando e o outono se aproxima, sentindo que seu coração partido está em fim cicatrizando, Devin começa a perceber que seu destino é ficar em Joyland. O assassino de Linda Grey ainda está a solta, e algo lhe diz que uma de suas missões é encontra-lo para que então o fantasma de Linda possa, enfim, descansar.

Essa foi a minha primeira experiência com algo do Stephen King, e apesar dos fãs dizerem que este não é o seu melhor livro, eu simplesmente adorei. Quando eu iniciei a leitura eu estava preparada para me deparar com algo extremamente assustador e horripilante, afinal na sinopse fala em fantasmas e assassinato. Mas para minha grata surpresa, King escreveu Joyland de forma que esses assuntos acabaram pendendo mais para o drama do que o horror.

A forma com que ele criou seus personagens, principalmente Devin, fez com que eu criasse instantaneamente uma ligação com eles. Apesar de ser um livro em que o personagem narra todos os acontecimentos através de suas lembranças, o leitor consegue captar a essência dos personagens secundários.

King é um excelente contador de histórias, e isso fica mais do que óbvio, pois apesar de Joyland ser um livro relativamente pequeno, a quantidade de reviravoltas que a trama dá é inexplicável. Sem falar nas pistas que ao longo da leitura o autor vai dando e que, para um leitor não acostumado com esse tipo de leitura - como é o meu caso – fica fácil se perder e ser levado por pistas falsas.

Então, se você não leu nada do King porque não curte livros de terror, essa é uma ótima oportunidade de conferir a escrita do cara. E se você já conhece e é fã, pode ser que não curta tanto, mas mesmo assim é uma leitura válida.


Cotação:

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu não sou o tipo que ler terror como se não houvesse amanhã, sou mais de romances #Confesso No entanto, Stephen King é um autor que desejo conhecer e que é sempre bem recomendado por todas as mídias e redes sociais, então merece um lugar na lista dos autores que preciso ler antes de morrer!

    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir